Buscar
  • Ômar Souki

Os três pilares

Paixão, fluxo e relacionamentos são os 3 pilares da liderança. Entrevistando e observando pessoas que se destacam—e estudando a vida de vários outros—cheguei à conclusão de que esses 3 elementos são fundamentais na trajetória dos líderes. Quando falamos em liderança pensamos logo em alguém que conduz outras pessoas. Mas, existe um aspecto ainda mais profundo dessa habilidade que é a capacidade de auto liderar-se para poder servir mais e melhor. Tudo começa dentro de nossa experiência pessoal, isto é, a partir de nossa habilidade de comandar a própria vida. A vitória fora, depende das conquistas internas. 

Durante um período política e economicamente conturbado no país, eu me deixei dominar pelo celular. Sentia que poderia exercer influência através do facebook e do whatsapp. Estava tão envolvido em enviar e receber mensagens que as horas passavam e eu nem percebia. Isso me desorganizava internamente. Soltei o leme do meu barco e deixei que as ondas o conduzissem. Perdi a liderança pessoal e, com isso, a oportunidade de servir mais e melhor. Senti que esse comportamento não me dava a satisfação que sempre obtive quando escrevo ou quando ministro palestras, isto é, quando sou mais produtivo e mais útil aos meus semelhantes.

A paixão por escrever fez com que eu retomasse a minha auto liderança. Chegou o dia em que decidi fazer um jejum de celular e escrever sobre essa experiência. Assim que as palavras paixão, fluxo e relacionamentos surgiram em minha mente e se refletiram na tela do computador, eu me transformei. Esqueci do celular e passei a navegar no fluxo produzido pelas associações que esses conceitos produziam em minha cabeça e em meu coração. Transportei-me para o universo dos relacionamentos e dos contatos que mantinha pessoalmente—ou através dos livros—com mentes brilhantes.  

Ter paixão pelo que se faz é a raiz de toda liderança, seja ela pessoal ou organizacional. Esse sentimento profundo de entrega a uma missão, faz com que a pessoa irradie confiança e otimismo. Senti isso ao conviver com pessoas como Salim Mattar, fundador da Localiza, e Elizabeth Pimenta, da Água de Cheiro. O mesmo ao me corresponder com Rolim Amaro, da TAM. A paixão pelos seus negócios fazia com que cultivassem intensa disciplina pessoal—entregando-se com prazer às suas tarefas.  

Esse despojamento nos conduz ao que chamamos de fluxo, algo que acontece quando todas as partes do nosso ser remam em uma só direção. Nossas emoções e neurônios se mobilizam na conquista de um só ideal. Esse estado poderoso nos mobiliza—e a todos à nossa volta—irradiando pensamentos, emoções, atitudes e ações positivas. Grandes sonhos se realizam. 

O impossível acontece! Não só no mundo empresarial, mas também em outras esferas. No Brasil temos o exemplo marcante da Irmã Dulce de Salvador e, na Índia, a inspiração advinda do trabalho de Madre Teresa de Calcutá; duas mulheres que mudaram o mundo através da paixão, do fluxo e dos relacionamentos. 

Essa força transformadora que chamamos de liderança somente se manifesta se for enraizada em um implacável senso de missão, que motiva a pessoa a levantar mais cedo para desfrutar do prazer de servir e de se relacionar com seus semelhantes. O líder, portanto, é aquele que se entrega apaixonadamente a um ideal—toma em suas mãos as rédeas de seu destino—e desperta nos outros o sublime ideal de servir! 

0 visualização

18981728092

Divinópolis, Minas Gerais - Brasil

©2020 por Eduardo Alvim